Vera Barbosa

A maioria das coisas importantes que aprendo vêm de dentro, e não de fora de mim.

Textos


Das pedras no caminho
 
                Tinha uma pedra no meio do caminho, disse certa vez o poeta.
                Confesso que não entendi direito, quando li pela primeira vez. Achei poético, metafórico, mas a real significação da pedra me escapara à época. Somente quando as pedras começaram a surgir em meu caminho – ou quando eu finalmente as pude ver – é que compreendi a essência do pensamento do poeta.
                O que é uma pedra? Depende. Se for muito pequena, no caminho, facilmente nos desviamos, mas pode ocorrer que ela, de tão pequena, entre desapercebidamente dentro do calçado, e então veremos que ela não é tão pequena, nem tão inofensiva, e não vemos a hora de nos abaixar, tirar o sapato e lançá-la – a causadora  de tão grande dor – bem longe de nossos pés e de nosso caminho.
                Já uma pedra de tamanho médio pode servir de assento a um cansado andarilho ou então ser contornada pelo transeunte comum. Mas, se por acaso o passante for um automóvel, essa mediana pedra poderá causar lamentável estrago e grande prejuízo ao possuidor da máquina.
                E se for uma pedra grande, enorme, dessas roladas lá de cima em dias de vendaval, que se plantam bem numa curva do caminho, obstruindo totalmente a passagem? Bem, neste caso só há uma solução: voltar sobre os passos e procurar outro caminho. Talvez boas surpresas nos aguardem nesse novo caminho; talvez ele seja um atalho, que nos leve mais rápido ao destino desejado.
                Mas talvez não.  Pode ocorrer que seja mais longo, mais sinuoso e íngreme. Mas, se assim for, que resta fazer senão trilhá-lo heroicamente, juntando todas as forças de nosso ser? Porque o caminho há que ser trilhado! Com ou sem pedras, não podemos simplesmente parar à beira do caminho, esperando... O quê?
                A vida é movimento, e as pedras no caminho -  os desafios - se não nos ensinam algo, ao menos fortalecem-nos os músculos para maiores e mais longas caminhadas, até o destino final, que não se sabe quando e nem onde será.


Imagem do Google
Primavera Azul
Enviado por Primavera Azul em 02/08/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras